Dora Kramer.

Considerada uma das mais atuantes e influentes jornalistas de Política do país, começou na profissão em 1974, quando ainda era estudante de Jornalismo. Dora Maria Tavares de Lima Kramer nasceu em 5 de abril de 1955, no Rio de Janeiro (RJ). É jornalista formada pela Faculdade de Comunicação Cásper Líbero, em São Paulo (SP), em 1977. Começou a carreira aos 18 anos, quando ainda cursava Jornalismo, escrevendo para o extinto Diário Popular (SP). Após passagem pela Agência Folha (SP), foi repórter de O Estado de São Paulo (SP) na década de 80.

Nos anos 90, foi trabalhar na sucursal brasiliense do jornal, focando ainda mais a carreira em cobertura política. Nesse período, publicou, junto com Pedro Collor de Mello, o livro Passando a limpo – a trajetória de um farsante (Record, 1992), que se tornou um best-seller. A obra relata os bastidores do governo federal, na época em que era comandado por Fernando Collor. Em 1995, passou a escrever a coluna Coisas de Política, no Jornal do Brasil (RJ), substituta da tradicional Coluna do Castello, na época escrita pelo jornalista Marcelo Pontes, onde ficou até meados de 2000.

No ano seguinte, foi convidada pelo Grupo Estado para assumir a coluna de política do jornal O Estado de S. Paulo (SP), também publicada em diversos outros jornais do país. Escreveu e publicou O Resumo da História (Objetiva, 2000), onde fez uma retrospectiva de quatro anos e meio de sua coluna política no Jornal do Brasil, e O Poder pelo Avesso (Barcarolla, 2010), onde apresenta ao leitor os caminhos da política brasileira e seus protagonistas como uma ficção, cujos capítulos se complementam e alinhavam uma história única.

De volta ao Rio de Janeiro, após 22 anos morando em Brasília, Dora hoje escreve crônicas diárias para os jornais O Estado de S. Paulo (SP) e O Dia (RJ). É também colunista das rádios Band News (SP) e JBFM (RJ). É considerada uma das grandes matriarcas do jornalismo político no país.